terça-feira, 1 de março de 2011

Exposição Athos Bulcão

Na Trilha dos Azulejos - Um passeio por Brasília pelas obras de Athos Bu...

Athos Bulcão está na Moda!




Imagens do desfile de Ronaldo Fraga – Fotosite


Os antenados na moda já estão sabendo que no dia 31 de Janeiro o estilistaRONALDO FRAGA exibiu sua coleção de inverno nas passarelas da São Paulo Fashion Week. A inspiração para suas novas peças foi o trabalho do artista plástico ATHOS BULCÃO, um dos maiores responsáveis por engrandecer o papel do artista na obra arquitetônica brasileira

Brasilia's Cathedral

Athos Bulcão




Igrejinha Nossa Senhora de Fátima




Painel de azulejos, Entrequadras 307/308 Sul, Igrejinha Nossa Senhora de Fátima, 1957 Brasília – DF, Brasil Arquiteto Oscar Niemeyer Foto Ricardo Padue Dimensões 525 x 3945 cm





Teto com placas metálicas
Teto com placas metálicas, Plenário, Senado Federal, 1978. Brasília – DF, Brasil Arquiteto Oscar Niemeyer Foto Edgar César Filho






Painel de azulejos, Batistério, Catedral Metropolitana de Brasília




Painel de azulejos, Batistério, Catedral Metropolitana de Brasília, 1970. Brasília – DF, Brasil Arquiteto Oscar Niemeyer Foto Edgar César Filho Dimen
sões 280 x 1380 cm






Painel de azulejos, Caixa Econômica Federal de Natal



Painel de azulejos, Caixa Econômica Federal de Natal, 1976 Rio Grande do Norte – RN, Brasil Arquiteto Cláudio Meirelles Fontes Foto Edgar César Filho





Painel de azulejos, Brasília Palace Hotel




Painel de azulejos, Brasília Palace Hotel, 1958. Brasília – DF, Brasil Arquiteto Oscar Niemeyer Foto Edgar César Filho Dimensões 318 x 3474 cm Pintura mural, Brasília Palace Hotel, 1958. Brasília – DF, Brasil Arquiteto Oscar Niemeyer Foto Edgar César Filho Dimensões 325 x 2600 .







Painel de azulejos, Aeroporto Internacional Juscelino Kubitschek, 1993. Brasília


Painel de azulejos, Aeroporto Internacional Juscelino Kubitschek, 1993. Brasília – DF, Brasil Arquiteto Sérgio Parada Foto Edgar César Dimensões 343 x 2820 cm Painel de azulejos, Aeroporto Internacional Juscelino Kubitschek, 1993. Brasília – DF, Brasil Arquiteto Sérgio Parada Foto Edgar César Dimensões 343 x 2840 cm.



Athos Bulcão



Athos Bulcão é um dos mestres brasileiros que mais exemplarmente representam a multiplicidade. Em tudo o que tocou, Athos deixou uma marca de invenção, delicadeza, exuberância e elegância.

Sua carreira se iniciou pelo desenho e pintura, dentro das tendências figurativas. Como artista se submeteu a um longo aprendizado, onde as questões referentes ao uso da cor foram sempre o principal ponto de atenção e conhecimento. No entanto, é pelo exercício da integração arquitetônica que seu trabalho começou a obter diferentes rumos. Na colaboração intensa em projetos de arquitetura redimensionou sua experiência e demonstrou a compreensão exata do papel do artista na obra arquitetônica, ou seja, estar estética e filosoficamente comprometido com as exigências do projeto arquitetônico, trabalhando em função do espaço proposto, destacando, valorizando, intensificando a presença da arquitetura.

A exatidão de suas interferências está em acordo com afirmação de Emile Zola, feita em 1880, sobre os bem sucedidos projetos de integração do pintor francês Puvis de Chavannes: "Sua bela ordenação é de uma requintada simplicidade. Sua originalidade e sua força residem na simplificação do desenho, na unidade do tom, nas vastas superfícies que ornam os edifícios, sem esmagar ou quebrar a unidade da arquitetura".

Em sua monumental e grandiosa obra de integração da arte com a arquitetura, Athos Bulcão atinge os preceitos necessários, que são o de deixar o arquiteto e o edifício serem os autores e o artista ser um colaborador. Mas ele sabe tornar esta colaboração essencial, e, com base em uma forma mestra, que se multiplica pela disposição no espaço, cria movimento e harmonia.

Na pintura Athos demonstra seu mais alto grau de realização. Tendo à disposição os recursos absorvidos por um constante exercício estético, alcança nas telas um primoroso equilíbrio entre forma e cor, demonstrando um excelente domínio técnico que faz com que cada quadro possua a qualidade de ser belo.

Athos Bulcão transita do pequeno formato às grandes superfícies, respeitando as especificidades e tirando proveito das inúmeras possibilidades disponíveis. Assumindo ao longo de sua trajetória características de versatilidade, constrói uma obra que se impõe no panorama nacional e consegue criar um repertório que se traduz em verdadeira lição de arte.

Athos demonstra vitalidade e prazer em seu ofício. Esta é a grande lição do mestre, que nos garante a certeza de que sua obra permanecerá como fonte inesgotável de inspiração para as novas gerações, pelo espírito generoso, libertário e visionário que a anima.

Ele foi amigo de alguns dos mais importantes artistas brasileiros modernos, como Jorge Amado, Burle Marx, Vinicius de Moraes, Fernando Sabino e Manuel Bandeira entre outros. Aos 21 anos, seus amigos o apresentaram a Candido Portinari, com quem trabalhou como assistente no mural de São Francisco de Assis na Pampulha anos depois.

Em 1943, Bulcão conheceu Oscar Niemeyer, que lhe encomendou um projeto para os azulejos externos do Teatro Municipal de Belo Horizonte. A obra ficou inacabada e o painel não foi realizado.

Foto de Athos Bulcão e Oscar Niemeyer

Athos Bulcão posa ao lado do amigo Oscar Niemeyer; artista conviveu com principais nomes da arte brasileira no século 20

Em 1996, o artista recebeu do governo brasileiro a Ordem do Mérito Cultural, em cerimônia no Dia Internacional da Cultura. No mesmo ano, ele também recebeu o Diploma de Reconhecimento do Instituto dos Arquitetos do Brasil por sua obra em prol da arquitetura nacional.
No ano seguinte, ele ainda ganhou o título de Cidadão Honorário de Brasília, por iniciativa da Câmara Legislativa do Distrito Federal.
Em 1945 trabalhou como assistente de Candido Portinari – com quem, mais tarde estagiou durante seis meses no atelier do Rio de Janeiro – no painel de São Francisco de Assis da Igreja da Pampulha, em Belo Horizonte.